Arquivo | MESS_LIST RSS for this section

AQUECIMENTO OBRIGATÓRIO: FRANZ FERDINAND

543431_740643349317437_4218171082299087150_n

Em algumas horas o grupo escocês Franz Ferdinand se apresenta pela sétima ou décima sétima vez em São Paulo, apresentando a turnê de seu mais recente álbum, o regular Right Thoughts, Right Words, Right Action, seu quarto trabalho em estúdio.

Para quem conhece o grupo ao vivo sabe que trata-se de uma apresentação divertida, simpática, com a certeza da execução de grandes hits, como “Walk Away” e “Take Me Out”, entre muitos outros; o ingresso é de fato satisfação garantida!

Aos fãs aflitos muita calma, pois resgatamos um MESS_TAPE especial Franz Ferdinand, são 60 minutos com tudo que você precisa ouvir como aquecimento pré show, portanto aumente o volume e encontre espaço para dançar!

E caso você ainda não esteja satisfeito, também selecionamos os cinco melhores vídeos do Franz Ferdinand, sem qualquer ordem de importância, como sempre.

messupclubbotomfacebookbotomtwitterbotom

MICK JAGGER: 70 ANOS!

mick-jagger

E para celebrar os 70 anos do mito, selecionamos 5 momentos solos imperdíveis!

messupclubbotom     facebookbotomtwitterbotom

AS MELHORES MÚSICAS NACIONAIS DE 2012

20mph

Esqueça os pessimistas! 2012 foi um ótimo ano para a música nacional.

Grandes nomes, incríveis retornos e novas promessas (capazes de finalmente transmitir confiança e admiração), marcaram os últimos doze meses com lançamentos sensacionais, abusando da nostalgia harmônica, experimentação eletrônica, anarquismo sonoro e minimalismo atômico.

E para celebrar este soberbo momento, selecionamos o que acreditamos serem as 20 melhores canções nacionais de 2012. Justificar essa escolha resultaria em uma observação inútil, afinal, todos nós sabemos que nada é absoluto, mas de qualquer forma adoramos contemplar uma boa seleção.

Confira agora as 20 melhores canções (em ordem de importância) escolhidas pelos mais diversos e diferentes motivos. E participe com a sua opinião/lista através dos campo comentários. Aproveite!

20) Bonde do Rolê – Kilo

19) Cambriana – The Sad Facts

18) Madrid – Free Fall

17) Lucas Santtana – Se Pá Ska SP

16) Gaby Amarantos – Ex Mai Love

15) Holger – Ilhabela

14) Jair Naves – Eu Sonho Acordado

13) Ludov – O paraíso

12) Caetano Veloso – A Bossa Nova É Foda

11) Black Drawing Chalks – Cut Myself In Two

10) Vivendo do Ócio – Nostalgia

09) Apanhador Só – Salão de Festas

08) Silva – 2012

07) Bidê ou Balde – Mesma Cidade

06) Sexy Fi – Macumba

05) Supercordas – Mumbai

04) Suéteres – Antes e Depois

03) Tulipa Ruiz – Quando Eu Achar

02) Otto – Ela Falava

01) Curumin- Passarinho

AS MELHORES MÚSICAS INTERNACIONAIS DE 2012

30

Tem quem acredite que 2012 não foi um bom ano para a música, mas sinceramente eu penso diferente. Muito diferente.

2012 – essa é a concepção absoluta – foi um ótimo ano.

Grandes nomes, incríveis retornos e novas promessas (capazes de finalmente transmitir confiança e admiração), marcaram os últimos doze meses com lançamentos sensacionais, abusando da nostalgia harmônica, experimentação eletrônica, anarquismo sonoro e minimalismo atômico.

E para celebrar este soberbo momento, selecionamos o que acreditamos serem as 30 melhores canções internacionais de 2012. Justificar essa escolha resultaria em uma observação inútil, afinal, todos nós sabemos que nada é absoluto, mas de qualquer forma adoramos contemplar uma boa seleção.

Confira agora as 30 melhores canções (em ordem de importância) escolhidas pelos mais diversos e diferentes motivos. E participe com a sua opinião/lista através dos campo comentários. Aproveite!

30) Superchunk – This Summer

 

29) The Dandy Warhols – Autumn Carnival

 

28) Sharon Van Etten – Magic Chords

 

27) Soundgarden – Been Away Too Long

 

26) Tame Impala – Feels Like We Only Go Backwards

 

25) Nelson Can – Troublemaker

 

24) Cosmo Jarvis – Love This

 

23) Band of Horses – Knock Knock

 

22) Mumford & Sons – I Will Wait

 

21) Cloud Nothings – Fall In

 

20) Cat Power – Cherokee

 

19) The Underachievers – Gold Soul Theory

 

18) Passion Pit – Take A Walk

 

17) Kate Nash – Under-Estimate The Girl

 

16) Hot Chip – Look At Where We Are

 

15) Muse – Madness

 

14) Fiona Apple – Every Single Night

 

13) Jack White – Love Interruption

 

12) Melody’s Echo Chamber – Endless Shore

 

11) Frank Ocean – Thinking About You

 

10) Electric Guest – This Head I Hold

 

09) The xx – Angels

 

08) Best Youth – Hang Out

 

07) Santigold – Disparate Youth

 

06) Grimes – Genesis

 

05) The Rolling Stones – Doom And Gloom

 

04) Die Antwoord – I Fink U Freeky

 

03) The Walkmen – The Love You Love

 

02) Alabama Shakes – Be Mine

 

01) Swim Deep – King City

CINCO PREMISSAS BÁSICAS PARA UMA NOVA NAMORADA #REVISADO

Ninguém que eu conheça quer estar sozinho, mas principalmente não quer estar mal acompanhado. E neste momento único, onde muitos estão solteiros e alguns desesperados, todos se perguntam qual é a pessoa ideal. Em uma realidade voraz e objetiva como a nossa, qualquer conselho pode ser fundamental, e por conta dessa desculpa canalha, eu decidi eleger as cinco premissas básicas para uma nova namorada. Sim, eu estou solteiro. E provavelmente devo permanecer após a publicação deste texto. Aproveite com bom humor.

5 – RELAÇÕES FAMILIARES

É preciso ter um bom relacionamento familiar. A namorada ideal precisa no mínimo relacionar-se bem dentro do seu ambiente familiar. Não importa a condição. Não importa se os pais dela estão divorciados ou falecidos, se os irmãos estão em estado vegetativo ou se a maioria dos parentes está distante ou próximos demais. Nenhuma família é perfeita, mas todas deveriam encontrar a sua forma de viver em harmonia. Se ela possui traumas familiares, brigas ferozes e conflitos irreconciliáveis, desapareça. Namorado não é terapeuta, não irá salvar o mundo de ninguém e como todos sabem, ou deveriam saber, apartar brigas entre familiares é tão perigoso quanto torcida organizada ou skinheads. A regra é clara, já basta a sua família disfuncional para lhe causar problemas, e nenhum par de pernas sensacional merece o seu envolvimento em uma nova guerra familiar.

Caso de exceção: Ela é bilionária. O dinheiro vai manter as brigas familiares distantes, provavelmente em Paris.

4 – FORMAÇÃO ACADÊMICA

O mundo é capitalista, frio e cruel. E todos competem à procura do seu lugar ao sol. O conforto custa dinheiro, e conquistá-lo significa muitos anos de estudo e trabalho. É preciso estudar. Ela precisa estudar. E a idade irá orientá-lo em relação ao nível de estudo mínimo adequado, mas lembre-se, nunca é tarde. Ela pode ter finalmente iniciado a faculdade aos 30 anos, e mesmo aparentemente tarde, iniciou. Neste quesito é preciso ter cuidado com as falsas promessas. Ela promete que irá estudar no próximo ano. Ela promete que irá concluir aquele curso já completamente esquecido. Ela promete que assim que resolver os problemas de hoje, irá estudar amanhã, e assim tudo será melhor. Ela promete. Se hoje ela prefere ocupar-se com qualquer outra atividade cômoda, e ignora a importância de uma formação acadêmica, abandone. Afinal, se amanhã será melhor, me procure quando for incrível. Até por que ninguém merece uma vida mediana, certo?

Caso de exceção: Ela é bilionária. E o fato de não estudar pode fazer de você o maior administrador de todos os tempos.

3 – CULTURA

O mundo já possui muitas dançarinas de funk. Bailarinas de programas dominicais e mulheres que encaram numa boa serem tratadas como mesa de sushi. Na real, ter um corpo bonito é ótimo, mas não é preciso ser um gênio para entender que trata-se de algo passageiro e completamente acessível à qualquer devoto de academia.  A embalagem é bacana, mas o que interessa é o conteúdo. É fato. E para uma infinita quantidade de mulheres vulgares, a cultura é algo assustador. Quem conhece sabe, cresce e domina fácil qualquer boa conversa envolvendo música, livros, cinema, teatro, restaurantes (comida também é cultura), eventos… E se ela sabe como dançar a nova coreografia da música de sucesso popular, mas não sabe responder qual é o seu autor (não é ator) favorito, abandone. Um corpo legal pode até resultar em uma transa bacana, mas até o previsível não está garantido. Uma pessoa culta garante uma companhia agradável. Debate. Crescimento. Diferenciação. Uma pessoa culta provavelmente não irá lhe causar qualquer vergonha, mas uma pessoa vulgar sim.

Caso de exceção: Ela é bilionária. E o fato de não saber nada apenas torna você mais atraente.

2 – PERSONALIDADE

Não adianta insistir. Se vocês não combinam, provavelmente o relacionamento não irá dar certo. Ela pode ter a família perfeita, estudar nas melhores universidades, ter um bom emprego e ser tão culta quanto você, mas se as personalidades não combinarem, não insista. A regra é clara. Ela gosta de amarelo, música erudita, literatura russa, salto-alto, espetáculos de dança e é vegetariana. Você gosta de azul, música eletrônica, ficção medieval, all-star, espetáculos onde ninguém está sentado e não dispensa um bom churrasco. Eu não sei por qual motivo se apaixonaram, mas sei inúmeros motivos que irão alegar quando se separarem. É claro que ninguém é perfeito e será exatamente igual à você, mas existem elementos que apenas você pode definir a importância. Por mais que seja necessário vivenciar novas experiências, sabores, filosofias e posições, mudar a essência de um ser humano é algo tão fácil quanto viajar até o espaço. Se você sabe que não se trata apenas de uma conversa, compressão, atenção e apoio, abandone. O tempo é precioso. E com certeza é muito mais trágico insistir em uma relação errada do que acabar com uma. Quando você encontrar a pessoa certa, que provavelmente não irá abraçar todas as suas causas, mas estará ao seu lado na maioria delas, você irá se sentir completamente realizado.

Caso de exceção: Inacreditavelmente não existe. Até por que não existe nada mais insuportável do que uma bilionária chata.

1 – SEXO

Sexo para o homem representa no mínimo 60% de uma relação. E mesmo assim o homem reluta a assumir detalhadamente o que espera do sexo. Posições, fantasias, taras estranhas e desejos inimagináveis habitam a cabeça de qualquer pessoa. E se um relacionamento é bom, a vida sexual é ótima. E não trata-se apenas de encaixe, tamanho ou diâmetro, o que de fato interessa é a satisfação. Faça sexo, mas principalmente, fale sobre sexo. Todo tipo de sexo. Na cama muito do que é feito é intuitivo ou segue uma cartilha básica, escrita por conversas de bares e filmes pornográficos. Fora da cama é possível ter uma ideia do que funciona, o que é proibido e o que deveria ser experimentado, basta criar um diálogo. E lembre-se, a cama é o pior lugar do mundo para descobrir que algo é inadmissível. A negação acaba com qualquer excitação. E se o sexo não combina entre os dois – você já deve imaginar qual é o meu conselho, por se tratar de algo que representa no mínimo 60% de uma relação – abandone.

Caso de exceção: Ela é bilionária, adepta de relacionamentos abertos e você não é ciumento. Isso existe?

ZERO – A REGRA DE OURO

Humildade. Lembre-se que antes de impor uma mulher ao julgamento das cinco premissas básicas, você precisa se julgar. Até por que não existem melhores ou piores, mas diferentes. Todos vivemos sob as mesmas condições de julgamento e continuamos cometendo diversos erros diariamente. De qualquer forma, o tempo é sempre o senhor da razão. E todos nós somos frágeis humanos.

SEMANA QUENTE E NERVOSA

Juro que estava em dúvida quanto à publicação de qualquer comentário em relação às novidades da semana. Pensei que seria prudente esperar o máximo possível, e dessa forma abordar o maior número possível de novidades, mas talvez a espera neste caso seja equívoca.

Em um universo emergencial e faminto como o nosso, a novidade da segunda-feira é extremo passado se descoberto na quinta-feira. A desatenção pode inclusive ser tolamente cobrada como atraso, mas na realidade este não é o caso. Comigo não existe competição, vencedor, perdedor ou prêmio para quem descobrir primeiro uma “grande” ou “boa” novidade. Deixo essa obsessiva necessidade egocêntrica para os colegiais.

De qualquer forma, o meu equívoco refere-se ao volume. Imprevisível! Observo os últimos minutos de quarta-feira esgotarem-se, desacreditando que existem DEZ novos vídeos assombrando o caótico universo da música. Existe muito mais, eu sei, mas esses são aqueles que interessam AGORA.

E pensar que ontem eu estava selecionando mambos dançantes e hipnotizantes para a última edição de MESS_TAPE. Definitivamente o universo está cada vez mais faminto e emergencial. E com certeza absoluta, existem mais bandas do que pessoas no mundo. Dúvida?

Depois de 10 anos de espera, dissolução, projetos solos e reunião, o grupo No Doubt retorna à boa forma com “Settle Down”, o primeiro single do novo álbum, Push And Shove. O frescor do seu característico pop-rock / ska / reggae, continuam presentes sem perder a qualidade. O grupo surpreende ao retornar com um single de impressionantes 6 minutos de duração, e flertes com o deep house. No que depender de “Settle Down”, o retorno do No Doubt supera qualquer expectativa.

Com participação (dispensável) do rapper Tinie Tempah, a inglesa Ellie Goulding regravou “Hanging On”, uma canção do projeto eletrônico Active Child, obra do americano Pat Grossi. O resultado é agradável, e o clipe é suficientemente simpático para Goulding continuar a sua saga norte-americana, onde tem conquistado cada vez mais público e a atenção da mídia especializada. Eu apostaria em Ellie.

Objetivamente? Eu não gosto da Mallu Magalhães. Eu não consigo me apaixonar pela sua instrumentação superestimada e pouco criativa. O hype não me convenceu. Eu já não gostava da sua voz irritante desde o início, quando ainda não era assediada pelo pedófilo Marcelo Camelo, e agora, quando Mallu decidiu abusar do sussurro débil em suas novas canções, eu não consigo conter minhas convulsões gástricas a cada frase pronunciada pelo prodígio indie nacional. Mas… Existem os fãs. Eu tento entender. Mas… Sinceramente eu não entendo. E acredite, apreciar as pernas (sério mesmo?) de Mallu Magalhães hoje, não faz de você um melhor pedófilo que o Marcelo Camelo de ontem. Juro.

O Sin Ayuda é uma banda paulista independente, cuja sonoridade garage rock é digna da fase mais delinquente e apaixonante de nomes como Iggy Pop and The Stooges. Divulgando o novo EP Boat, o grupo promove o lançamento do honesto clipe de “Scum”, talvez o clipe de menor orçamento do ano. Mas sinceramente, a música é o que interessa, e deveria ser sempre a única e maior estrela do vídeo. Pelo menos EU creio que essa é a regra para genuínas bandas de rock.

A Banda Uó não pode ser uma coisa séria, certo? Eu não tenho dúvidas em relação ao bom humor de suas letras, e a criativa produção escrachada do seu animado forró / brega / eletrônico, mas tenho certeza que toda graça possui uma data de validade. Mas enquanto o grupo não perder a graça, vamos aproveitar, afinal, quem não quer rir e se divertir?

Para a minha surpresa o novo singles do grupo Hot Chip é a bela e lenta “Look At Where We Are”, uma das pérolas do álbum In Our Heads. Com direção de Danny Perez, o novo single do grupo continua a apostar em visuais nonsenses, repletos de elementos da criativa ficção científica (bizarra e inexplicável) do grupo inglês. Visualmente o resultado é exagerado, mas sem dúvida trata-se de uma deliciosa canção.

O Vuvuvultures (definitivamente esse não é um bom nome para uma banda), é um quarteto formado na Inglaterra, cuja baixista (SURPRESA!), é a brasileira Nicole Bettencourt Coelho. O grupo promove o lançamento do clipe de “I’ll Cut You”, última faixa do único EP do grupo, o emblemático VVV. Com referências marcadas pelo rock industrial e o pós-punk, o quarteto inglês surpreende em sua estreia, mesmo quando abusa de elementos grotescos de gosto duvidoso, com clara referencia ao filme Labirinto do Fauno, presentes no clipe de “I’ll Cut You”. Boa promessa.

E Jack White solo rende mais um magnífico videoclipe, com direção estrelada pelo celebrado produtor Hype Williams. A parceria de White / Williams resultou em um moderno velho-oeste psicodélico, estrelado por White e duas sensualíssimas morenas, que eu acredito representar os dois lados da lei. O clipe da badalada “Freedom At 21” (canção poderosa, que possui um dos melhores solos de guitarra do ano) também conta com a participação do bem humorado Josh Homme, uma combinação imune ao erro.

E aproxima-se um dos lançamentos mais esperados do ano. Coexist, o novo álbum do grupo The xx, deve ser disponibilizado apenas no cabalístico 11 de setembro, mas o quarteto inglês promove antecipadamente o lançamento do vídeo (não tenho certeza se trata-se de um vídeo) de “Angels”, a hipnótica e intimista faixa de abertura do novo álbum. A sonoridade do grupo continua idêntica ao trabalho anterior, explorando atmosferas minimalistas obscuras, pontuada pela intensa melancolia tímida da voz de Romy Madley Croft. O vídeo é um enigma bacteriológico quase estático, perfeito para não roubar as microscópicas extravagancias de uma das mais interessantes bandas da atualidade.

O talentoso multi-instrumentista independente Vitor Patalano, promove o lançamento do videoclipe da canção “Death Cheating Tuna Cowboys”, uma das melhores composições do seu conceituado projeto Me & The Plant. Enquanto a canção equilibra-se entre elementos orientais e o faroeste americano, o vídeo surpreende com uma bela produção estrelada por diversas figuras inexplicáveis, como cowboys modernos, uma diva digna da arte de Botero e uma apocalíptica gangue de mobilete. Difícil de explicar, mas definitivamente recomendável.

SEIS VÍDEOS PARA UMA SEXTA-FEIRA

Provavelmente iremos nos apaixonar em breve pelo peso histérico do grupo Dead Sara. Prometo que aos apreciadores de peso, a canção “Weatherman” é irresistível.

 

A sensibilidade de “Trembling Hands” é suficiente para captar a nossa atenção ao novo trabalho do The Temper Trap. Elegante.

 

Lianne La Havas será sem dúvida a sua próxima diva. “Is Your Love Big Enough?” é simplesmente deliciosa. Entregue-se ao ritmo.

 

A dupla Electric Guest deve conquistar em breve o título de novo fenômeno indie. Confira a ótima “This Head I Hold” e entregue-se ao hype.

 

Non Tiq é uma artista sueca excepcional, responsável por texturas eletrônicas plenas, cuja qualidade é indiscutível. Presença garantida na sua próxima festa.

 

Lucy Rose é uma beleza tímida, cuja voz cristalina despedaça corações na mesma velocidades que seus olhos verdes conquistam o universo. Confira a performance acústica de “All I’ve Got” e tente não se apaixonar.

10 NOVOS VÍDEOS PARA COMEÇAR BEM A SEMANA

“Major” é o primeiro single de Out of Frequency, o segundo trabalho da banda dinamarquesa The Asteroids Galaxy Tour. Definitivamente um dos bons momentos do novo álbum, com destaque para a vocalista Mette Lindberg, líder do sexteto dinamarquês.

O novo álbum do grupo Hot Chip, In Our Heads, tem lançamento previsto para junho, mas você já pode conferir o clipe de “Night & Day”, o primeiro single deste novo trabalho. O vídeo apresenta o premiado ator Terence Stamp em situações bizarras, envolvendo espaçonaves, monges dançarinos e um ovo gigante.

Cold Specks é o nome do projeto da cantora Al Spx, uma canadense de 24 anos que mora em Londres. Al divulgou o clipe de “Winter Solstice”, uma das canções que irão compor seu álbum de estréia, cujo lançamento é previsto para o segundo semestre deste ano. Uma promessa construída com acordes simples e bateria quase marcial, emoldurando a grandiosa voz da jovem canadense.

O duo australiano Flight Facilities convidou o músico britânico Grovesnor para assumir os vocais do single de “With You”, que além de ser lançado com uma versão estendida para vinil, conta com três remixes oficiais produzidos por: MAM, Danny Daze 5am e David August. O clipe inspirado em séries japonesas é uma atração à parte.

Fruto do ótimo álbum Metals, lançado no ano passado, Feist apresenta o vídeo clipe de “Cicadas and Gulls”, em uma versão ao vivo acompanhada pelos músicos do Mountain Man, sua banda de apoio. A presença de dois dançarinhos em slow motion coreografado, faz toda a diferença no clipe.

Kids of 88 é uma dupla neozelandesa que lançará em breve seu segundo álbum, Modern Love, ainda sem previsão de lançamento. “Tucan”, o primeiro single do novo álbum, dispensa as batidas dançantes predominantes na estreia e aposta em uma parceria vocal com Alisa Xayalith, do grupo The Naked and Famous.

“American Dream Part II” é o novo vídeo clipe do projeto Totally Enormous Extinct Dinosaurs, obra eletrônica de Orlando Higginbottom. O single estará presente em Trouble, álbum com previsão de lançamento para o segundo semestre deste ano.

Claire Boucher, reponsável pelo projeto Grimes, definiu a enigmática “Nightmusic” como o segundo single do álbum Visions, cujo vídeo carregado de elementos góticos você confere agora.

Benny Andersson, um dos membro-fundadores do lendário grupo ABBA, disponibilizou seu estúdio para a gravação do novo clipe do grupo The Hives, em uma performance ao vivo da energética “Go Right Ahead”.

O vocalista Paul Smith assume o papel de coadjuvante no novo clipe do Maximo Park, a dançante “Hips And Lips”, single cujo vídeo é estrelado por um obsessivo fã do grupo. Para entender será necessário assistir.

Coreografado 

10 MÚSICAS PARA UMA QUARTA-FEIRA

Nós sabemos. Quarta-feira é um dia complicado. E sexta-feira ainda é um sonho. Por isso eventualmente escolhemos com carinho 10 músicas sensacionais para animar o seu dia, para incentivar a sua curiosidade e quem sabe apresentar uma canção que será a trilha perfeita para a sua quarta-feira. Portanto aproveite! Nós servimos bem, mas não servimos sempre.

OS 5 MELHORES SHOWS DO COACHELLA 2012 E 1 VERDADE

É impossível ficar imune ao Coachella. Seu line-up reúne cerca de 150 diferentes atrações em shows com a duração média de 40 minutos, com exceção dos grandes nomes, que no depender da vontade e disponibilidade dos artistas podem se apresentar por até 3 horas seguidas, durante o encerramento de uma das noites do festival.

Entre uma eclética e extensa lista de atrações, destacamos 5 apresentações pelas quais o ingresso é válido, e uma verdade absoluta, comprovada graças a realização do festival. Se você esteve presente vale rever alguns grandes momentos e, para todos os demais, aproveite a chance e divirta-se com os melhores shows!

E os melhores shows do Coachella 2012 são:

At the Drive-In

Omar Rodriguez-Lopez, uma das lideranças presentes no At the Drive-In, já é motivo suficiente para tornar o show do grupo de El Paso imperdível. Considerados por muitos um dos melhores guitarristas experimentais de sua geração, Omar impressiona pela postura calma e confiante ao vivo, ao mesmo tempo em que desafia a gravidade teórica musical desconstruindo harmonias com uma energia incessante.

Ao seu lado, Cedric Bixler-Zavala não se permite deixar descansar por um único segundo. Gritando histericamente os hinos de umas das principais bandas da década de 90, o At the Drive-In transforma-se em um terremoto quando domina o palco, representantes legítimos do punk post hardcore, cuja importância continua à influenciar muitos grupos e músicos nos dias atuais. Se ainda é preciso destacar algo, vale lembrar que a banda não se apresentava ao vivo por mais de uma década, portanto o “momento de retorno” valeu o ingresso.

Kasabian

Eu não entendo a falta de relacionamento dos ingleses do Kasabian com a mídia e parte do grande público. É fato que o grupo seja uma banda respeitada pela crítica, que sejam responsáveis por grandes e incríveis composições, mas até então não foram capazes de compor uma canção com peso suficiente para conquistar a simpatia global. Para entender a dimensão da maldição do Kasabian, a rapper inglesa Azealia Banks, uma estreante no cenário musical global, cuja participação no festival se resume a uma performance com menos de 30 minutos de duração, obteve mais cobertura e repercussão na mídia do que o grupo de rock inglês. Uma pena, pois conforme você pode conferir agora, a apresentação do Kasabian foi um evento isolado, explosivo, dançante e desafiador. Um dos melhores de todo festival.

Radiohead

O Radiohead é hipnótico do início ao fim. Seu palco é impecável e absoluto. Um incrível mosaico de luzes e projeções lisérgicas que resumem apenas uma parte do espetáculo climático e introspectivo, promovido por Thom Yorke e sua orquestra eletro-orgânica. Em uma apresentação especial, com duas horas de duração, é possível conferir performances espetaculares de “Karma Police”, “Bodysnatchers”, “Everything In Its Right Place”e “Paranoid Android”.

Noel Gallagher’s High Flying Birds

Noel Gallagher sempre foi maior que o seu irmão Liam, muito mais simpático e responsável pelos grandes sucessos de sua maior obra, o Oasis. Seu show resgata alguns dos melhores clássicos ao mesmo tempo em que conquista o público com o seu novo trabalho solo, executado de forma impecável ao lado de seus companheiros de banda, os High Flying Birds. Um show irresistível do início ao fim. Para os fãs de rock inglês, trata-se de um evento único.

Dr. Dre & Snopp Dogg

Você pode não gostar do estilo, mas definitivamente já ouviu Dr. Dre & Snopp Dogg. Se considerar a importância de ambos para a cultura musical norte-americana, é impossível não valorizar o show. Perfeito do início ao fim, com participações especiais de 50 Cent, Wiz Khalifa e Eminem, nomes que reforçam a importância da performance para o festival.

Antes de efetivamente acontecer, a apresentação já era tida como uma das melhores entre todas as 150 atrações, mas ninguém esperava pelo que estava sendo planejado. Ninguém em nenhum lugar no universo. Tupac Shakur, rapper, ícone global, assassinado em 1996, se fez presente. Por meio de uma técnica holográfica inovadora é possível conferir Dogg e Tupac ao vivo; cantando, interagindo e dançando junto à multidão quase infinita de fieis desacreditados.

O show é obrigatório para os fãs de boa música, e a apresentação holográfica de Tupac deve ser o início de um ressurgimento de ícones falecidos impressionantes, ao mesmo tempo que magníficos e assustadores. Se esse é o amanhã, em qual show holográfico você gostaria de estar presente em um futuro próximo?

E agora o momento da verdade.

Teve quem acreditasse que contrariando todas as previsões, a dupla Black Keys, seria capaz de representar bem o papel de uma das atrações principais do festival, mesmo ainda restrita a um público especifico e pequeno. Se considerar o peso das demais atrações principais, a dupla simplesmente desaparece. A previsão, a qual nunca desacreditei, efetivamente aconteceu. A crítica não perdoou o que considerou uma performance fria, pequena e intimidada frente à multidão presente.

O Black Keys é simpático, possui realmente um grupo de canções interessantes, mas é um erro a sua escalação como atração principal de festival do porte do Coachella. Para eles, infelizmente ainda não é possível manter o publico de um festival inteiro interessado, sem sequer possui um hit de alcance global. O Black Keys fez o seu melhor, mas deve pagar no futuro o preço de não estar à altura do que se espera de uma atração principal, a catarse coletiva. É o clássico caso de estar presente no lugar errado, na hora errada.

8 OBSERVAÇÕES DE 2011 AINDA VÁLIDAS PARA 2012

Azealia Banks

De acordo com a revista NME a pessoa mais legal no mundo em 2011 (no universo da música) é Azealia Banks. Conhece? Eu vi o clipe de “212” e… bacana.

 

Dry the River – No Rest

É um quinteto folk / alt-country de Londres. Peter D’Artagnan Liddle (o sobrenome lembra alguma figura histórica?) foi o grande mentor desse projeto formado no início de 2009. São uma “mistura lindíssima” de folk, alt-country, gospel e indie-rock; fortemente influenciados por Paul Simon, Leonard Cohen e Suzanne Vegaand. Mais que promissores, eu diria.

 

Boy – Little Numbers

Você ainda não conhece o duo de meninas chamado BOY? É genial! A música é deliciosa e o projeto possui todos os elementos pop necessários para fazer um sucesso enorme, portanto não seja o último a dançar “Little Numbers”.

 

Slow Club – Two Cousins

É o clima que faz a canção, e por mais que o piano de Two Cousins seja melancólico, a canção ainda se faz marcante por propor um convite à dança lenta, entre amantes, parentes e até melhores amigos. Aproveite.

 

Tom Waits – Satisfied

Tom Waits é a prova viva que rock não se faz através de institutos de música ou faculdades de artes, que técnica se aprende errando e muitas vezes o erro é o prato principal. Não é preciso ter a melhor voz, os melhores instrumentos ou a execução perfeita… Rock é um sentimento que causa as mais genuínas atitudes, sem programação, regras, maquiagem ou passos ensaiados. Lamento pelos perfeitos instrumentistas, que secretamente vivem a fantasia do rock entre as paredes dos seus quartos, excelentes músicos escravos de regras querendo viver uma vida onde o espontâneo é a alma do negócio.

 

Karina Buhr – Cara Palavra

Karina Buhr é o segundo nome “inovador” que me vêem a mente quando eu penso em música nacional. Se você não sabe qual é o primeiro nome provavelmente não leu essa pretensiosa seleção por completo. Agora imagine a cena: mulher, pernambucana, acaba de lançar um novo álbum, o disponibilizou para download gratuito em seu site oficial. Imaginou uma tendência pretenciosa de mesmice? Mais um nome em um infinito universo de cantoras obcecadas pelas raízes nacionais, ritmos do sol, sambas clássicos? Nada! Surge Karina! Seu primeiro single é punk rock clássico, onde o grande mestre Edgard Scandurra e Catatau dividem a responsabilidade das guitarras enquanto ela faz uma poesia fonética de palavras que mais parecem confundir do que explicar… É punk! É rock! É novo! Salve Buhr!

 

Jennifer Lo-Fi – Troffea

Quando você pensa em inovação na música nacional, qual é o nome que você pensa? Eu não sei até onde é arriscado dizer que se trata de uma inovação, afinal, inovar é algo muito raro, mas posso afirmar que dois nomes me veem à mente quando eu penso em novidades. Músicas frescas, diferente do que tem sido exaustivamente repetido nos últimos anos. Jennifer Lo-Fi é o primeiro dos novos nomes. Recomendações máximas!

 

Boy & Bear – Blood To Gold

E chega o momento de indicar uma banda de indie folk. Sim, tem muita gente que não consegue mais ler a palavra folk, mas acredito que quando bem feito – como no caso de Boy & Bear, uma banda de Sydney, Austrália – a história pode ter um final feliz. Neste caso, ao gosto do cliente.